11º Salão Imobiliário de Caruaru gera 62 R$ milhões em negócios

 em Notícias

Através das câmaras setoriais da Construção Civil e dos Corretores de Imóveis, a Acic injetou ânimo no mercado com a realização do 11º Salão Imobiliário de Caruaru. Entre os dias 20 e 22 de novembro, o clima de pessimismo resultante da instabilidade econômica deu espaço para investimentos e bons negócios. As pessoas que estavam em busca da melhor oportunidade para conquistar a casa própria ou firmar um negócio encontraram a chance de espantar a crise. E o saldo foi positivo, a feira recebeu mais de 3.100 visitantes, contou com 32 expositores e com 520 imóveis negociados, gerando o montante de R$ 62 milhões.

Desde a abertura, na sexta-feira (20), as expectativas foram sendo superadas com a apresentação do número de empresas que acreditaram na iniciativa. “Já estamos anunciando a 12ª edição e isso é motivo de muito orgulho, especialmente em períodos delicados como este. Em relação ao ano passado, alcançamos um crescimento do número de parceiros que confiaram no nosso evento e na credibilidade da Acic. O quantitativo quase dobrou!”, disse a diretora da Associação Ana Paula Tavares. A solenidade reuniu associados, empresários, colaboradores de empresas, visitantes e representantes do poder público, como o presidente da Empresa de Urbanização (URB) da Prefeitura de Caruaru, Aldo Arruda.

Estacionamento, praça de alimentação e acesso facilitado estiveram à disposição dos que passaram por lá. As empresas apresentaram seus produtos, fizeram propostas e tiraram dúvidas dos interessados sobre as melhores opções de compra. Nos stands, os clientes puderam observar imagens dos empreendimentos, conhecer detalhes dos projetos e ainda receberam materiais informativos com orientações sobre o investimento.

Uma das novidades desta edição foi a participação de um grupo de arquitetos da Câmara Setorial da Arquitetura da Acic. “Nosso stand ofereceu informações sobre como reformar os imóveis que estavam sendo vendidos. Foi uma experiência proveitosa por criar um ponto de integração entre escritórios de arquitetura, imobiliárias e construtoras, o que irá aumentar a cartela de clientes dos profissionais envolvidos”, disse o coordenador Pedro Vilarim. Desta forma, foi possível sair do evento já com o planejamento para obras e decoração de casas e/ou apartamentos adiantados.

“Imóveis para todos os ‘bolsos’ foram oferecidos, desde os financiados através de bancos ou subsidiados diretamente pelas próprias construtoras. A vantagem de comprar no Salão é a convergência de empresas, entre construtoras e imobiliárias, em um único espaço com tabelas de preços personalizadas especialmente para o evento. Este ano, trouxemos outros órgãos, como o 1º e o 3º cartórios, o Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de Pernambuco (Sindimóveis), o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco (CAU) e o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), e garantimos a presença de lojas de material de construção”, disse um dos membros do comitê gestor do evento, Jaime Anselmo.

 

  ')}