Como se blindar das fofocas no trabalho

 em Notícias

fofoca é a coisa que mais irrita os brasileiros no ambiente de trabalho corporativo. Se o “diz-que-me-disse” é o que mais incomoda, o melhor jeito, então, é se blindar dela. Como a fofoca é quase sempre a mãe da mentira, pedimos algumas dicas a especialistas para você conseguir essa blindagem das picuinhas e intrigas costumeiras do trabalho.

“Perceba intencionalmente o ambiente. Receber ou ouvir uma fofoca é uma coisa, repassá-la é outra. O ideal é não estimular os fofoqueiros de plantão. Fique atento para não se contaminar”, recomenda Márcio, que também é professor da disciplina Carreira sem Fronteiras do Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada (IBTA). Já para alguém que exerce um cargo de liderança na empresa, a dica da coach de carreira Mariella Galo é que, ao assim que surgir o boato, o ideal é esclarecê-lo o mais rápido possível à equipe ou para as pessoas envolvidas. “Não alimente ou inicie boatos. Procure esclarecer qual a versão correta”, recomenda Mariella.

Para Alexandre Prates, especialista em liderança e desenvolvimento humano e autor do livro “Reinvenção do Profissional – Tendências Comportamentais do Profissional do Futuro” (Ed. Novo Século), uma reputação fortalecida blinda qualquer profissional de fofocas e conversas maldosas. “Além de atentar-se à sua imagem dentro das empresas, evitando fofocas alheias e comportamentos inadequados, é fundamental cuidar da sua imagem fora também”, analisa Alexandre.

Já na avaliação de Wagner de Freitas Oliveira, fundador da Woli Consultoria e Treinamento, contar informações pessoais a uma pessoa que gosta de fofocar é um erro que deve ser evitado. Ele ressalta que sábio é aquele profissional que, ao ouvir uma fofoca, não a passa adiante. Dessa forma você não entra no ciclo da fofoca e ainda sinaliza ao colega que com você essas ‘atualizações’ da empresa ficam retidas. “Se ainda assim o ‘fofoqueiro’ quiser compartilhar as últimas novidades, não seja um bom ouvinte. Não dê atenção de forma que ele se sinta desencorajado a contar mais e mais detalhes”, recomenda Wagner.

com informações do site estilo.br.msn.com ')}